sexta-feira, 18 de dezembro de 2020

Metal Letras #01: Pestilence – The Process of Suffocation


Em meio a esse momento tão inacreditável que estamos atravessando em nossa história, em que além de retroceder a teorias sobre terra plana e anticiência, as pessoas parecem ter esquecido que música é expressão de sentimentos e mandam que músicos que se manifestaram por décadas "se calem e apenas toquem", a seção Metal Letras surge para resgatar e relembrar as mensagens que as bandas passaram e continuam a passar através de suas letras ao longo do tempo.




Essa seção sempre tratá a tradução da letra de alguma banda de Metal. Mesmo esse tipo de coisa sendo facilmente acessável hoje em dia, a ideia é colocar a mensagem da letra em destaque, e chamar atenção para o que é abordado pelos músicos. A versão original virá abaixo.

sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Sessões Tardias #01: Sociedade dos Poetas Mortos (1989)


Apesar de amar a sétima arte, não sou das expectadoras mais ativas. Nunca estou completamente atualizada com as películas mais recentes, e há muitos filmes clássicos, daqueles que marcaram a história, que simplesmente ainda não assisti. Toda essa demora pode acabar causando um impacto diferente do esperado na hora de finalmente fazê-lo. Foi exatamente isso que me levou a criar essa nova série aqui no Recinto: Sessões Tardias, que sempre trará uma obra clássica do cinema e, talvez, pontos de vista divergentes dos da maioria.




Pra começar, trago este que foi o "filme da adolescência" de muita gente: Sociedade dos Poetas Mortos (1989). Ele povoava o meu imaginário como algo relativamente diferente, que mostraria os caminhos submundanos por onde andaram grandes nomes do passado. Embora nos traga algum toque dessa atmosfera, o cenário é outro. Nos deparamos com uma abordagem sobre escolhas e o início da vida adulta numa sociedade moralista e conservadora, que exige submissão a seus padrões e negação das paixões, especificamente no ano de 1959.

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

No meu acervo #01: coleção de fanzines do Metal Underground Brasileiro


Para começar as postagens da série No Meu Acervo, trago algo que sempre gostei muito de ler e faz parte da minha vida dentro do Metal Underground: os Fanzines.




Fanzines, ou simplesmente zines, são publicações elaboradas por apreciadores de um determinado assunto ou cultura, sejam eles amadores ou profissionais, geralmente de forma independente, por via impressa ou digital. A qualidade gráfica e o tipo da abordagem variam muito de publicação para publicação, e nelas o editor tem liberdade para explorar os temas de forma mais abrangente, dando espaço para nomes que geralmente não o teriam em meios especializados, nos quais os critérios muitas vezes obedecem a demandas comerciais. Várias edições que eu mostrarei aqui (de maneira resumida, pois a postagem será longa) são exemplos dessa vastidão.

domingo, 13 de setembro de 2020

Explorando variadas sonoridades: doze faixas instrumentais de diferentes bandas dentro do Heavy Metal


Algo que muito me agrada dentro do universo do Heavy Metal, que por si só já é bastante diversificado, é quando bandas incluem em seus álbuns faixas instrumentais que exploram diferentes sonoridades dentro do próprio estilo, ou agregam elementos de outros gêneros musicais.

Trago aqui uma singela lista com 12 dessas faixas. Não necessariamente faixas longas, e nem intros (essas virão numa postagem futura).  A ideia era não repetir bandas, mas tive que abrir uma exceção pro Death, porque realmente são excepcionais, e minhas duas favoritas, entre todas. Seguem:


1. Death - Cosmic Sea (Human)